Victor Costa: “atingimos um patamar, quase, que não conseguimos contabilizar”

Victor Costa: “atingimos um patamar, quase, que não conseguimos contabilizar”
O Turismo.PT

O Presidente da Turismo de Lisboa, Victor Costa, falou em exclusivo a O Turismo.PT, sobre as nomeações para os World Travel Awards.

Depois de em 2018 Lisboa ter conquistado os galardões de Melhor Cidade e de Melhor cidade City Break, nos World Travel Awards, Victor Costa em entrevista exclusiva a O Turismo.PT, mostrou uma clara satisfação pelas nomeações para 2019, explicando que “agora são para os prémios europeus”, acrescentando “temos sido nomeados para vários prémios”.

 

O Presidente sublinhou que “independentemente do resultado”, salientando que “nós não fazemos nada, nem contratamos ninguém para votar”, “consideramos que isto [as nomeações] é muito importante porque reconhece Lisboa como destino turístico”.
Segundo Victor Costa “atingimos um patamar quase que não conseguimos contabilizar”, ou seja, “que atingimos um patamar de exigência e de destaque que significa um reconhecimento no panorama turístico internacional”.

Sobre o ainda ser necessário dinamizar mais a cidade, Costa referiu que “nós não dinamizamos só a cidade”. No entanto “a marca Lisboa, seja a que tem o principal activo em termos internacionais”.

Mas para a Turismo de Lisboa “não é só isso, porque procuramos que haja mais conteúdos nessa marca Lisboa, conteúdos regionais, conteúdos diversificados, para podermos ter mais de 2,8 milhões” de turistas em vez dos 550 mil habitantes.


Até há cinco anos, as prioridades eram para a cidade de Lisboa, actualmente as prioridades são outras, mais extensas e mais abrangentes.
Segundo Victor Costa “temos vindo a definir um percurso desde há cinco anos, porque então discutia-se como fazer para salientar também os outros pontos de interesse que estão perto de Lisboa, dado o peso turístico da capital”.
O responsável explicou que foi decidido “que os outros pontos perto de Lisboa também devem ser objecto de divulgação”. Salientando como exemplo a Arrábida, que “já é objecto de interesse a nível de turismo, com procura, com investimento". Igualmente “a margem sul, Vila Franca de Xira e o Arco da bacia do Tejo”.

 

Sobre a força que as marcas que a Turismo de Lisboa tem associadas, Victor Costa referiu que “a marca Cascais é um activo local existe, mas a marca Lisboa é a mais importante”.

No entanto existem outras “que também são importantes como é o caso da marca Sintra”.


Um aspecto muito importante que destacamos é o facto de o Presidente reconhecer que existe a necessidade de “melhorar a mobilidade, porque as pessoas não se deslocam para os locais se a mobilidade não for em condições”. Sem esquecer um segmento muito importante, a melhoria “dos transportes públicos”.
Dando como exemplo que “para ir do Seixal ao Terreiro do Paço, ou qualquer local da outra margem é preciso melhorar os transportes públicos”. Isto não só é importante “para os residentes, mas também para o turismo”, sustentou o responsável.


Outro dos exemplos que Victor Costa referiu foi se “os investidores pretendem fazer um hotel na margem sul e se a mobilidade for reduzida, torna-se difícil”. Vincando que “isto está a acontecer, mas é preciso ir chamando a atenção”.

No próximo dia 08 de Junho, no Funchal, serão conhecidos os vencedores europeus dos World Travel Awards.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade