Mais uma vez o grupo Accor Hotels volta a supreender, pela negativa

O Novotel de Setúbal, unidade de quatro estrelas depara-se com um problema grande: a base está operacional, mas não há topo para coordenar. Isto, porque segundo o director "só estou aqui há dias".

 

Uma unidade hoteleira de quatro estrelas, franchisada do Grupo hoteleiro Accor, o Novotel viu o seu director 'bater com a porta' no final de Junho. No entanto para colmatar a falha a empresa, detentora do franchinsing, Portis Hoteis SA, decidiu transferir Fernando Jorge Rodrigues de Lisboa para Setúbal. O gestor que tinha a função de Director de Exploração do Novotel e Mercure Lisboa, foi "despromovido" para vir dirigir a unidade que tem na sua maioria clientes das empresas que trabalham na cidade ou nos arredores. Ou seja um mercado completamente diferente do de Lisboa. Mas segundo Fernando Jorge Rodrigues, "já tinha estado a dirigir este hotel há dois anos" e como "moro aqui ao lado", fez com que "eu viesse dirigir este hotel". Na prática dirigiu o hotel de Outubro de 2014 a Março de 2017, tendo sido depois "promovido" para Director de Exploração do Novotel e Mercure de Lisboa, todos pertencentes à Portis Hhoteis SA.

A um dos colaboradores de sala perguntámos quem assinava a carta do restaurante, mas para nosso espanto a resposta foi "ninguém". Insistimos e perguntamos se não existia um Chef de Cozinha, mas mais uma vez nos surpreenderam "não, só existem cozinheiros e ajudantes".

Pedimos para falar com o director do hotel e explicamos o sucedido, mas a sua resposta foi "o empregado está enganado, pois temos um Chef Executivo para todos os hotéis do grupo". Nem ousámos questionar se seria o Grupo Accor ou o grupo Portihoteis, pois a resposta é totalmente absurda e desrespeita totalmente a legislação em vigor. Quando confrontado com o facto de não ser possível a cozinha servir os clientes vinte minutos antes do seu encerramento, respondeu "eu só aqui estou há dias".

Uma outra lacuna que reparamos e que nos preocupou, foi o facto de não existir nenhuma pessoa que esteja de vigilância à piscina, para o caso de existir um problema poder prestar os primeiros socorros.

Outro episódio que ocorreu teve a ver com a fidelização de cliente, em que a Accor diz que "permite-lhe beneficiar de upgrade para a categoria imediatamente superior à reservada sempre que exista disponibilidade no hotel (excluindo as villas, suites únicas, suites especiais e suites presidenciais)". Mas como o Novotel de Setúbal só tem uma tipologia de quartos, "o hotel tentará atribuir-lhe um quarto melhor dentro da categoria de quarto reservado, a título exemplificativo, num andar mais alto, com melhor vista ou um quarto de canto". Esta informação o recepcionista desconhecia e Fernando Jorge Rodrigues respondeu "não posso fazer nada, pois só temos um tipo de quarto". No entanto ainda sugerimos o que costuma estar incluído no quarto superior, o mini-bar. mas o director respondeu firmemente "não, ele será pago no que consumirem".

Concluindo, temos um hotel que não cumpre com a legislação e o director não se mostra preocupado com os incumprimentos existentes no hotel. Será por que foi "despromovido"?!

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade